Só é bom enquanto não acontece

sábado, 10/09/2011 Deixe um comentário

Renato Abreu é um dos convocados de Mano para enfrentar a Argentina (noticiasflamengo.com)

Seleção de jogadores que atuam no Brasil

Basta a Seleção Brasileira ter uma atuação ruim para que surjam pessoas dizendo que os brasileiros que atuam na Europa jogam sem vontade e sem amor à camisa amarela. Para os que pensam assim, a solução seria convocar somente atletas que jogam em clubes do País. Pois para os amistosos com a Argentina, Mano Menezes só pôde chamar jogadores que estão em território nacional. A lista – que contou com nomes como Ralf, Rômulo, Renato Abreu e Cícero – gerou diversas críticas. Críticas, porém, sem reclamações quanto a grandes nomes que tenham ficado de fora. Em outras palavras, a lista não é boa, mas não há nada muito melhor no Brasil. Isso só prova que a ideia de que a Seleção jogaria melhor caso só tivesse atletas de times nacionais é ruim. Não resistiu à primeira convocação.

Opinião sem observação

Críticas a nomes como o do lateral Bruno Cortês somente reforçam uma opinião recorrente do BFL: quem corneta a Seleção Brasileira, via de regra, não entende absolutamente nada de futebol. Em alguns casos, sequer assiste a partidas. Se há uma posição em que falta jogadores de qualidade no mundo inteiro, ela é a de lateral. Por isso, numa lista reduzida a nomes do Campeonato Brasileiro, encontrar gênios da bola para a lateral é missão impossível. Além disso, Cortês não é mau jogador – é até uma aposta interessante para o futuro. Só diz coisas como “Quem é esse Cortês?” aquele tipo de torcedor que escuta algo na TV aberta e repete por osmose. Provavelmente dirá, também, que faltou o Arouca na lista do Mano, simplesmente porque isso foi dito na televisão – quando, na verdade, o volante do Santos não está em boa fase.

Anúncios

Protesto? Onde?

segunda-feira, 05/09/2011 Deixe um comentário

Normalmente, em dia de clássicos, as torcidas uniformizadas do Brasil só chegam aos noticiários por culpa das confusões e brigas que geram entre si. Entretanto, na rodada de dérbis do Campeonato Brasileiro que ocorreu no fim de agosto, uniformizados de todo o País foram destaque por outra atitude: os protestos contra Ricardo Teixeira, presidente da CBF e do comitê que organiza os preparativos para a Copa do Mundo de 2014. Aqui, independe o fato de você, leitor, gostar ou não dos torcedores uniformizados: eles, como qualquer outra pessoa, são cidadãos, e têm total direito a expressar o que pensam. Mas a Rede Globo, aparentemente, não pensa assim. Em todos os jogos que transmitiu (seja por Globo, SporTV ou PFC) e em seus programas esportivos da segunda-feira posterior, os protestos foram completamente ignorados. Sabe-se da ligação que há entre Teixeira e Globo. Mas isso não deveria interferir no conteúdo editorial da casa. Como interferiu, percebe-se: neste caso, mais valeu os acordos ocultos do que a transparência jornalística. Lamentável.

Foto: r7.com

Cobrança fora de hora

quinta-feira, 01/09/2011 2 comentários

Setembro chegou. Portanto, é hora de o BFL voltar das férias. Neste retorno, o destaque vai para uma frase que foi dita há uma semana, mas que o blog não poderia deixar passar sem um comentário.

Corinthians passa por má fase e vê adversários encostando na classificação (terra.com.br)

Eu sei que os jogadores são seres humanos e têm altos e baixos, mas não pode: estamos perdendo um campeonato ganho de novo. O Tite erra e acerta como todos os treinadores. O problema são os jogadores, que perdem um jogo como o do Figueirense. Também não consegui engolir o empate com o Ceará e a derrota para o Avaí. – Andrés Sanchez

Quem lê esta declaração do presidente do Corinthians pode até imaginar que a equipe caiu na classificação e está perdendo distância dos líderes do Campeonato Brasileiro – quando, na realidade, Tite e seus comandados continuam na primeira posição. É verdade, sim, que o desempenho corintiano na competição não vem sendo dos melhores nos últimos tempos. Entretanto, o que é necessário entender é que o momento atual do torneio, com jogos todas as quartas e domingos, é propício para que os times fiquem irregulares.

Com duas rodadas por semana, a quantidade de lesões e suspensões de atletas aumenta e a preparação física geral cai (algo muito relevante no caso do Corinthians, já que uma de suas principais vantagens no início do campeonato era o vigor físico). E, nessas condições, nenhum clube consegue manter uma boa sequência de resultados. Em 2010, o Fluminense viveu a mesma situação neste período da competição: perdeu, por exemplo, para Guarani e Atlético Goianiense. E isso não impediu a equipe de ser campeã.

Em outras palavras, queda de rendimento quando a frequência de partidas aumenta é algo natural. E, ao não entender isto e fazer pressão pública, Andrés Sanchez não só está criticando em hora errada, como também pode estar – ele sim – colaborando para que o Corinthians perca o campeonato.

Férias

segunda-feira, 01/08/2011 Deixe um comentário

O Blog do Filipe Lima entrará, a partir de hoje, em férias de um mês.

O autor deste espaço está começando novas atividades (de estudo, basicamente) e tomará este tempo para se adaptar a elas e à nova agenda de horários que terá que obedecer para cumprir todas as suas obrigações diárias.

O BFL voltará à sua atividade regular em setembro.

A polêmica entrevista de Teixeira

sexta-feira, 29/07/2011 Deixe um comentário

Muito se falou, recentemente, da polêmica entrevista dada pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira, à Piauí. A matéria foi publicada na íntegra no site da revista, e é a indicação de leitura de hoje do Blog do Filipe Lima:

Teixeira não mediu palavras em entrevista à Piauí (r7.com)

O presidente

“Se a senhora um dia tivesse que definir a malandragem, no bom sentido, claro, ela se chamaria Ricardo Teixeira.” É assim que o atual presidente da CBF foi descrito à repórter Daniela Pinheiro pelo ex-sogro e ex-presidente da Fifa João Havelange. Por isso, é impossível acreditar que esta entrevista à revista Piauí, cheia de palavrões, ostentação de poder e ataques a alguns veículos de imprensa, não tenha sido friamente calculada.

Independentemente disso, o que se lê, linha após linha nesta matéria, é um retrato fiel de quanto poder Teixeira tem em mãos e como ele o usa. Para aqueles que torcem por alternância de poder e pela queda de pessoas que se instalam nos postos de comando por muito tempo, esta reportagem só serve para reforçar ainda mais o desejo de mudança em relação à Confederação Brasileira de Futebol.

Vitória da continuidade

terça-feira, 26/07/2011 Deixe um comentário

A falta de continuidade de trabalho na Seleção Brasileira, resultado da desnecessária pressão da torcida, tornou-se tema recorrente no BFL. E o título do Uruguai na Copa América de 2011, conquistado neste último domingo, só serve para reforçar ainda mais a visão que este blog vem expondo nas últimas semanas. Os uruguaios não tinham um grupo de jogadores tão talentoso quanto o da Argentina ou o do Brasil, mas tinham a continuidade que faltava aos seus principais adversários – o elenco celeste que venceu o torneio continental é bastante similar ao que, há um ano, chegava ao quarto lugar da Copa do Mundo. Não que a equipe de Dunga tivesse que ser totalmente mantida para 2011. Mas parte da base certamente poderia (e deveria) ter sido reaproveitada. Investir em trabalhos de longo prazo é essencial no futebol. Principalmente entre seleções, que têm pouco tempo para se reunir e treinar. Que a lição fique para o Brasil, e a derrota na Copa América não seja motivo para mais um recomeço fora de hora.

Foto: r7.com

Abrindo os olhos

sábado, 23/07/2011 1 comentário

A América Latina sempre foi um dos maiores celeiros de craques do mundo do futebol. Por muito tempo, ano após ano, assistíamos a diversos jogadores darem show de bola diante dos brasileiros em partidas da Libertadores da América e das Eliminatórias para a Copa do Mundo, e nada fazíamos. Agora, finalmente, os clubes do Brasil abriram os olhos para esta realidade: há muito talento em times dos países vizinhos, e eles podem ser grandes contratações para reforçar os elencos daqui. A vinda de Martinuccio, um dos principais nomes da última Libertadores, reforça este novo panorama, que já conta com nomes como Montillo, D’Alessandro, Guiñazú, Loco Abreu, Valdívia, Bottinelli, entre outros. A contratação de jogadores estrangeiros de talento só tem a acrescentar ao nível do Campeonato Brasileiro. Prova disso foi 2010, ano em que três dos melhores jogadores da competição eram argentinos: Conca, Montillo e D’Alessandro.

Foto: globoesporte.com